Fisioterapia na saude sexual feminina

Assessoria de Comunicação
Crefito 9

preocupação com a saúde e a melhora na qualidade de vida tem crescido nos últimos anos: a busca pela alimentação saudável, a prática de exercícios físicos e o check- up médico tem sido rotina na vida da maioria das mulheres.

Mas será que as mulheres têm se preocupado com sua saúde sexual?

Segundo pesquisas a maioria das mulheres não consegue relacionar a área sexual com as demais áreas quando se trata de atenção à saúde e melhora na qualidade de vida.

Porém ter saúde sexual entra na classificação do Ministério da Saúde como necessário a qualidade de vida. E define que as disfunções sexuais femininas são consideradas um problema de saúde pública.

Pesquisas realizadas em 2019 apresentaram prevalência de aproximadamente 52% das mulheres Brasileiras com disfunção sexual feminina, o que tem gerado grande preocupação dos profissionais de saúde devido ao impacto causado na qualidade de vida das mulheres.

Mas como mensurar ou examinar a saúde sexual?

Isso dependerá do desenvolvimento sexual de cada indivíduo tais como educação sexual, influências culturais e religiosas, ambiente familiar, crenças e expectativas, traumas e eventos estressantes. Bem como patologias e disfunções físicas e psicológicas.

No geral é uma área muito delicada que gera timidez, devido à educação sexual que a maioria recebeu o que limita a procura de informação e tratamento.

Muitas mulheres sofrem por falta de autoconhecimento, autocuidado e por não saberem identificar quando estão com disfunções sexuais.

A disfunção sexual é a incapacidade de vivenciar a sexualidade com prazer e satisfação o que pode gerar angústia, insatisfação pessoal e interpessoal.

Apresenta etiologia multifatorial como alteração hormonal, uso contínuo de determinadas medicações, carência nutricional, disfunções emocionais e psicológicas, infecções e inflamações da região íntima e distúrbios da musculatura do assoalho pélvico.

Algumas patologias da região pélvica podem desencadear a disfunção sexual como o contrário também pode acontecer.

As disfunções sexuais mais comuns são:

 I - Transtorno do desejo sexual (diminuição do desejo e da libido).

II - Transtorno da excitação (quando o corpo não consegue se preparar fisiologicamente para o ato sexual).

 III - Transtorno orgástico (ausência, intensidade ou dificuldade de orgasmos). IV - Dispareunia (dor durante o ato sexual).

V- Distúrbios da lubrificação vaginal.

VI - Vaginismo (dificuldade extrema de conseguir a penetração vaginal).

VII - Distúrbios de sensibilidade (hipo ou hiperativo), entre outras.

A fisioterapia na saúde da mulher vem desenvolvendo um excelente trabalho compartilhando rico conhecimento quanto à importância da saúde sexual feminina, consciência corporal, autocuidado, higiene intima, saúde funcional pélvica e estética intima o que tem aumentado sobremaneira a autoestima da mulher. E a  grande ferramenta para esta transformação é a  incrível reabilitação ou treino e manobras da musculatura do assoalho pélvico tão importante na saúde e satisfação sexual e bem estar.

Dispondo de diversos recursos e técnicas específicas, não apresenta nenhuma contraindicação uma vez que a avaliação e tratamento são individuais e personalizados para cada paciente.

Pesquisas científicas realizadas em 2020 concluíram que a fisioterapia nesta área da saúde da mulher é vista como uma forma efetiva de tratamento e melhora na qualidade de vida das mulheres e as condutas fisioterapêuticas nas disfunções sexuais femininas se apresentam de forma satisfatória e com melhora significativa, contribuindo assim na promoção da saúde sexual feminina.

 

Fernanda Marzaro, Fisioterapeuta, CREFITO 9 149664. Pós-graduada em fisioterapia pélvica.  Atuando em saúde da Mulher desde 2009. Docente em prática clínica de cursos de extensão em fisioterapia pélvica.

Portal Transparência
Boletim Informativo Cartilha de Controle Social Estágio Não Obrigatório De carona com o fiscal

AGENDA DE EVENTOS

MAIS EVENTOS >

O Crefito-9 é mero divulgador do conteúdo publicado aqui: não nos restando responsabilidade, compromisso ou parceria com as publicações.

ENQUETE

Como garantir valorização e dignidade profissional?

Mudanças da legislação

União da categoria

Evitar privatização do SUS

CAMPANHAS E SERVIÇOS DO COFFITO

Transparência Fale Conosco Ouvidoria
Copyright © 2019 CREFITO-9 - CONSELHO REGIONAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL DA 9ª REGIÃO